Cuidar do Meio Ambiente

Ilustração Redução de CO₂

Redução de CO₂

O Brasil é um dos países com maior potencial para redução de emissões de CO₂. O País já se destaca pela prevalência de fontes renováveis em sua matriz energética, principalmente pela grande participação de usinas hidrelétricas, e ainda possui vasta capacidade de expansão para a geração eólica e de biomassa.

Na 21ª Conferência das Partes (COP21) da Convenção- Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC), em Paris, foi adotado um novo acordo com o objetivo central de fortalecer a resposta global à ameaça da mudança do clima e de reforçar a capacidade dos países para lidar com os impactos decorrentes dessas mudanças. A contribuição do Brasil é com a redução das emissões de gases de efeito estufa em 43% abaixo dos níveis de 2 G ton de CO₂ em 2005. Uma das estratégias para alcançar esse objetivo é a expansão da participação das fontes renováveis na matriz energética.

O Brasil, apesar de ser um setor relativamente jovem, considerando-se que a utilização em larga escala da energia eólica iniciou-se em 2009, posicionou-se na décima colocação do ranking mundial de capacidade instalada acumulada desta fonte, caminhando a passos largos para a nona posição. Com um dos melhores fatores de capacidade do planeta no aproveitamento dos ventos em aplicações onshore, nos últimos dois anos, o Brasil subiu e se manteve na quarta posição do ranking global de nova capacidade eólica instalada por ano. Estima-se que, neste período, foram criados 40 mil postos de trabalho e o número de instalações cresceu em 47% quando comparado ao ano anterior.

Um dado relevante e tangível sobre a energia eólica está no seu ciclo de emissão e captura de gases CO₂ junto ao meio ambiente: em apenas 5 meses e meio, uma turbina eólica em operação pode abater o equivalente às emissões geradas em seu próprio ciclo de fabricação.

A Siemens já está inserida nesse contexto, colaborando para a redução das emissões de gases causadores de efeito estufa. Com nossos produtos e soluções para geração de energia eólica e cogeração de energia, já contribuímos para evitar a dispersão de três milhões de toneladas de CO₂ e anualmente na atmosfera.

Essa contribuição é proveniente, sobretudo, da geração por meio de biomassa, que se utiliza das nossas turbinas a vapor para gerar energia a partir de insumos como bagaço e palha de cana e cavacos de madeira. Hoje, no Brasil, 4.240 MW de energia são obtidos a partir de soluções Siemens direcionadas para este segmento. Na fábrica de Jundiaí (SP), a Siemens fabrica turbogeradores de até 100 MW de potência, baseada na transferência de tecnologia de seu principal centro de competência, em Görlitz, na Alemanha. A Siemens também produz turbinas a vapor para uso em plantas termelétricas ou de ciclo combinado, utilizando sua experiência na localidade de Mülheim, também na Alemanha. O alto índice de produtividade das turbinas Siemens contribui para gerar mais energia, a partir da mesma quantidade de insumos.

|Desafios futuros e compromisso

Do Plano Decenal de Energia sobre o aumento da capacidade instalada para 206,4 GW em 2024, cerca da metade da expansão de geração será baseada em fontes renováveis: eólica, solar, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas. Essas centrais de geração são tipicamente distribuídas em todo o território nacional, diferentemente das grandes usinas hidrelétricas. Isto indica uma mudança sistemática na matriz energética brasileira, passando de um modelo centralizado para um modelo distribuído de geração. A Siemens possui soluções tecnológicas que podem contribuir ainda mais com as reduções das emissões de gases de efeito estufa.

Embora o Brasil tenha condições naturais favoráveis e uma cadeia produtiva nacionalizada para o crescimento do uso de energia de fontes renováveis, ainda temos uma série de desafios que vão desde a infraestrutura de acesso aos parques eólicos até o aperfeiçoamento de diversos aspectos regulatórios.

Fonte: Siemens AG, Siemens Brasil e Governo Federal do Brasil, dados referentes aos impactos das tecnologias da Siemens instaladas no Brasil até 2016.

Compromisso de Neutralização de CO₂

Ilustração Compromisso de Neutralização de CO₂

O compromisso do Brasil, através do documento chamado Contribuição Nacionalmente Determinada (NDC), firmado com a ONU em 2015, tem a meta de reduzir 37% das emissões até 2025 e possível redução de 43% até 2030. As soluções tecnológicas da Siemens podem ajudar o Brasil a atingir suas metas.

Além de apoiar seus clientes, a Siemens estabeleceu o objetivo de ser a primeira empresa industrial do mundo a conseguir atingir a pegada de carbono zero até 2030 em sua própria operação. A empresa planeja cortar sua emissão de dióxido de carbono (CO₂) – que em 2014 somava cerca de 2,2 milhões de toneladas métricas por ano – pela metade até 2020. Para atingir essa meta, a Siemens investe cerca de 100 milhões de euros a fim de melhorar sua eficiência energética em seus próprios edifícios e nas instalações produtivas, e ainda tem expectativa do retorno anual de 20 milhões de euros a partir de 2020. Um ano após o lançamento do programa de neutralização de CO₂ a Siemens já fez avanços significativos na redução de sua pegada de carbono. De 2,2 milhões de toneladas em 2014, passamos para 1,7 milhão de toneladas em 2016.

A Siemens no Brasil reduziu 32% das emissões de CO2 com a adoção de etanol nas frotas e ações nos processos fabris e em eficiência energética em seus sites.

|Desafios futuros e compromisso

Para diminuir suas emissões de CO₂ a longo prazo, a empresa vai focar em quatro iniciativas: eficiência energética, sistema de energia descentralizada, soluções de mobilidade inteligente e compra de energia limpa.

No Brasil, a companhia seguirá o planejamento global de investimentos e também continuará investindo em iniciativas próprias, no desenvolvimento de competências em eficiência energética para público interno selecionado, com o propósito de identificar oportunidades de investimento viáveis de melhoria na eficiência energética, no monitoramento e controle de indicadores de eficiência energética para gestão de governança dos resultados. Outra ação já implementada é o uso de combustível etanol na frota dos veículos do Brasil.

Imagem Compromisso de Neutralização de CO₂

Fonte: Siemens AG, Siemens no Brasil.

Consumo Consciente

Ilustração Consumo Consciente

Em 2015, a área de Gestão Ambiental da Siemens apresentou, em âmbito mundial, sua nova estratégia apoiada nos programas Serve the Environment e Product Eco-excellence.

Até 2020, a empresa se propõe a aumentar a eficiência de gestão de resíduos e de energia em 1% ao ano, como também a eliminação de 100% das substâncias que degradam a camada de ozônio (ODS – Ozone depleting substances) até 2040 e a neutralização da sua pegada de carbono até 2030. No Brasil, a meta de 2015 de aumentar em 1% a eficiência energética não foi atingida. No entanto, outros resultados positivos já podem ser contabilizados. Um deles é o aspecto da redução do volume de resíduos destinados para aterros, bem como a redução do consumo de água.

É importante pontuar que a Siemens já atingiu relevantes conquistas no campo da eficiência energética, nos últimos anos. Duas localidades da empresa são certificadas com o selo Leadership in Energy and Envionmental Design (LEED) Ouro: a sede da empresa, localizada em São Paulo, e o prédio de uma Divisão de negócios, localizada no Rio de Janeiro. Além disso, todas as localidades fabris da empresa já obtiveram e têm mantido, sistematicamente, suas certificações ISO 14.001.

Em relação à comunicação, foram realizadas diversas campanhas de engajamento e conscientização, como a Semana do Meio Ambiente que, neste ano, tratou do tema de redução de desperdício de alimentos e geração de resíduos.

|Desafios futuros e compromisso

No plano estratégico, para atingir os objetivos e metas ambientais, a Siemens está prevendo um conjunto de ações e investimentos, principalmente para reduzir o consumo de energia em seus prédios e instalações produtivas.

Estas ações estarão impactando positivamente não somente no meio ambiente, mas também na redução de custos. Para continuar avançando nos resultados ambientais, a Siemens realiza anualmente um mapeamento de oportunidades relativas às metas ambientais. Colaboradores da Siemens e também pós-graduandos em eficiência energética pela European Energy Manager (EUREM) dedicarão parte de seu tempo para mapear e avaliar as formas de consumo de energia na localidade, com o objetivo de propor melhorias, sejam elas por meio de mudanças de processos ou com investimentos da empresa que tragam retorno em eficiência energética diretamente, ou mesmo a redução de consumo de energia.

Fonte: Siemens no Brasil.