Desafios do Brasil

O Brasil é um país que vivenciou recentemente muitas transformações, passando de um período de crescimento para outro, de dificuldades econômicas e crise ética e política. Independentemente do momento atual, é um país com enormes oportunidades e significativos desafios.

Existe uma necessidade urgente de desenvolvimento em infraestrutura, modernização da indústria, geração de empregos, qualificação de mão de obra, ampliação do acesso à saúde, entre outras. Por meio da nossa pesquisa, baseada em análises externas, identificamos seis pilares que estabelecem o foco da nossa análise de impacto e proporcionam a estrutura para medir a contribuição da Siemens para o Brasil.

|Impulsionar a Economia

O Brasil precisa desenvolver uma economia que ofereça crescimento ao País e melhores condições de vida à sua população.

Embora o Brasil tenha vivenciado um período de crescimento e de ascensão socioeconômica de parte da população menos favorecida, hoje o desemprego é um fato preocupante em todo o País.

Passamos por uma das piores retrações econômicas da história do País com queda no Produto Interno Bruto (PIB) de 3,8 e 3,6, em 2015 e 2016, respectivamente. Há expectativas para 2017 de registrar estagnação no PIB, com algumas perspectivas melhores apontando apenas para o ano de 2018. Investimentos em infraestrutura podem ajudar na retomada do crescimento econômico. Novas regras de concessão e privatização podem, inclusive, atrair investimentos estrangeiros.

|Desenvolver empregos e qualificação local

A criação de empregos e qualificação profissional é fundamental em um país com mais de 13 milhões de desempregados.

Apesar deste enorme contingente de pessoas disponíveis no mercado, o Brasil é o segundo país no mundo com maior dificuldade para encontrar profissionais qualificados. São apenas 700 engenheiros e/ou cientistas para cada um milhão de habitantes, três vezes menos do que o necessário.

Atualmente, 40% dos jovens de 15 a 17 anos abandonam a escola por falta de interesse.

|Inovar com agregação local

O Brasil precisa de inovações para impulsionar sua economia.

No campo da energia, por exemplo, as perdas chegam a 23% de toda a energia gerada, ainda que exista a perspectiva de aumento de 73 MW de geração até 2024. Implantar soluções que reduzam essas perdas é uma contribuição fundamental para o Brasil.

Atualmente, o Brasil ocupa o 75º lugar em competitividade de uma lista de 144 economias, com necessidade de melhorar a capacidade para inovação. A produtividade de nossos trabalhadores por hora é de 11 dólares, enquanto nos EUA e na Alemanha, os valores são, respectivamente, de 67 dólares/hora e 57 dólares/hora.

O tema de segurança da informação ainda se apresenta como um entrave às ações de digitalização em vários setores, como parte da indústria, que ainda tende a enxergar digitalização como mera migração do analógico para o digital.

|Cuidar do meio ambiente

O Brasil está entre os cinco países com maior potencial de redução de emissões de CO₂.

Atualmente, o País emite em torno de 1,5 bilhão de toneladas de gases prejudiciais ao meio ambiente e tem meta de reduzir esse número em 43% até 2030.

Com uma matriz energética prioritariamente formada por fontes renováveis, o Brasil pode aumentar a participação desse tipo de geração em 45% nos próximos anos. Uma parte significativa (13,3%) das emissões é proveniente dos transportes, que apresentam grande potencial para medidas de eficiência.

Outra situação de alta relevância nesse campo é a utilização da água, pois estima-se que 37% desse recurso seja desperdiçado.

|Melhorar a qualidade de vida

O avanço da medicina e outros indicadores sociais permitiram que a expectativa de vida do brasileiro ultrapassasse os 75 anos em 2015.

No entanto, o dado positivo representa uma série de pressões sobre o sistema de saúde, como a necessidade de cuidados médicos ampliados e o surgimento de doenças crônicas. Hoje, 77% da população depende do sistema público de saúde, o governo tem o desafio de ampliar o sistema e ainda reduzir o tempo dos exames.

Outro aspecto importante da qualidade de vida está na mobilidade: atualmente, 22% dos brasileiros gastam mais de duas horas por dia em deslocamentos no trânsito, sendo que dois terços dos trabalhadores dependem do transporte público.

|Apoiar a transformação da sociedade

O Brasil é o 79º de 166 países no ranking de percepção de corrupção no mundo, segundo a entidade Transparência Internacional.

Ainda no quesito transparência, a média das empresas nacionais é de 3,4 de uma escala que vai de zero a dez.

Em termos de educação, o País hoje ocupa o 65º lugar no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Programme for International Student Assessment – PISA), com avaliação abaixo da média em matemática e ciências. Atualmente, 4,7% do PIB são investidos em educação.

Ainda se registra um grande desnível entre a remuneração de mulheres e homens: mulheres com nível superior ganham em torno de 62% menos que homens com o mesmo nível de escolaridade.

Fontes: IBGE, Ministério da Fazenda, NDC Brasil, Estudo do Eurostat, Ministério de Minas e Energia, World Economic Forum, SEEG, Instituto Trata Brasil, IPEA, Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovaçõa Industrial, Transparency Internacional, OCDE, Instituto Ayrton Senna, World Trade Organization, Estudo da Consultoria ManpowerGroup. Exame – Edição: 8/6/2016 Como Salvar a Economia.